Buscar

Esta semana o portal habitaracidade.com traz à biblioteca "Limites e potencialidades do planejamento cicloviário: um estudo sobre a participação cidadã", dissertação de mestrado de Fernando Camargo Chapadeiro apresentada em 2011 ao Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da Faculdade de Tecnologia da Universidade de Brasília. Refletindo sobre os limites dos modelos convencionais de planejamento de transporte, o autor discute elementos significativos do planejamento cicloviário participativo no que diz respeito à valorização de modos de deslocamento não motorizados. Boa leitura!


"Grande parte das políticas públicas voltadas para mobilidade urbana valorizam os deslocamentos por automóveis, deixando de lado os modos não motorizados. Os espaços tornam-se inadequados para comportar de maneira harmônica a quantidade crescente de veículos motorizados e pessoas que realizam seus deslocamentos a pé ou de bicicleta. Para encarar estes problemas são necessárias novas soluções para inserção da bicicleta no ambiente urbano de forma efetiva. Os modelos tradicionais de planejamento de transporte não são capazes de solucioná-los, pois praticamente ignoram os modos não motorizados. Considerando o que foi exposto, o problema a ser tratado no presente trabalho consiste em como vencer a dificuldade de planejar a mobilidade por bicicletas com os instrumentos disponíveis para o planejamento de transportes. A partir deste entendimento, a busca por uma participação popular nas questões urbanas voltadas para a mobilidade por bicicletas, pode ocasionar a construção de cidades com melhores formas de acessibilidade. Por meio do planejamento cicloviário participativo tem-se estruturação do conhecimento dos próprios atores locais e a combinação de estratégias que equilibram a demanda por transportes e características de uso do solo, tão raros nos processos de planejamento das cidades. Após o estudo de experiências internacionais e brasileiras, apontam-se os limites e potencialidades da abordagem participativa, no processo planejamento cicloviário, foco deste trabalho."


Título: Limites e potencialidades do planejamento cicloviário: um estudo sobre a participação cidadã.

Autoria: Fernando Camargo Chapadeiro

Orientação: Paulo César Marques da Silva

Dissertação de Mestrado - Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia. Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, 2011.


Acesse o trabalho completo em habitaracidade.com/biblioteca

Esta semana o portal habitaracidade.com traz à biblioteca "Atmosfera, Stimmung, Aura: nos interstícios da filosofia, paisagem e política", e-book organizado por Vladimir Bartalini, Dirk Michael Hennrich e Arthur Cabral junto ao Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa e à Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, com apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Apresentando um texto inédito do filósofo Gernot Böhme, o livro traz o olhar de diferentes autores sobre os modos como reconhecemos e habitamos sensivelmente o mundo. Boa leitura!


"[...] O humano, como todos os outros seres vivos, experimenta sempre e produz, até um certo ponto, atmosferas e disposições, que são fenômenos perceptíveis apenas através da nossa presença sensível e corpórea, não apenas física, mas vivida ao habitar e ao trespassar os espaços, ambientes e paisagens. São fenômenos dos interstícios, nem objetos nem sujeitos, mas justamente emanações dos objetos e dos sujeitos e, sobretudo, manifestações específicas de um terceiro situado entre sujeito e objeto, imprescindíveis para a constituição de vínculos ou elos associativos e comunicativos entre as mais diversas aparências.

Reconhecer a presença e a importância desses fenômenos em suas diversas dimensões e formas de expressão justifica a abertura deste Colóquio a distintas áreas de conhecimento e de atuação (arquitetura, paisagismo, literatura, artes, psicologia, ecologia...) apostando nas perspectivas oferecidas por seus múltiplos pontos de contato."

Dirk Michael Hennrich, São Paulo, Julho 2019.


Título: Atas do Colóquio Internacional Atmosfera, Stimmung, Aura: nos interstícios da filosofia, paisagem e política

Autoria: Vladimir Bartalini; Arthur Simões Caetano Cabral; Dirk Michael Hennrich (org.)

Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa; Fundação para a Ciência e a Tecnologia; Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo; Laboratório Paisagem, Arte e Cultura, 2020.


Acesse o trabalho completo em habitaracidade.com/biblioteca

O projeto Audição – a música ensina passa aqui para comunicar e lembrar:


1 – A playlist estendida da Edição de Agosto está disponível no Spotify. É só clicar aqui. Valeu Fabi Itaci e Gláucia Leles.


2 – A Edição de Setembro já é nessa quarta (23) e playlist preparada pelo pessoal do CAPU está maravilhosa! Se inscreva em habitaracidade.com/audicao.


Até um dos nossos encontros!