[IASI; THIESEN, 2015] USINA 25 anos - Cidade da Reforma Agrária

 

[IASI; THIESEN, 2015] USINA 25 anos - Cidade da Reforma Agrária

  • Resumo

    IASI, Maiári Cruz; THIESEN, José Rodolfo Pacheco. 

    USINA 25 anos - Cidade da Reforma Agrária. Archdaily, 2015.

     

    No dia 17 de abril de 1996, aproximadamente 3 mil famílias sem terra ocuparam um enorme latifúndio no interior do Paraná. O episódio ficou conhecido mundialmente através das lentes do fotógrafo Sebastião Salgado – que retratou, no ensaio “Terra”, a massa de trabalhadores atravessando a porteira da propriedade com suas foices e bandeiras empunhadas para o alto. Com a luta dessas famílias, 27 dos 100 mil hectares do latifúndio se transformaram em assentamento da Reforma Agrária, tornando-se aptos a abrigar 1,5 mil famílias de agricultoras e agricultores.

    A USINA – que já tinha vivido no COPROMO a experiência de projetar um conjunto para mil famílias – se mostrava aparentemente credenciada para o desafio de contribuir na elaboração do projeto arquitetônico e de implantação das 1,5 mil famílias sem terra. Mas havia uma diferença crucial: enquanto no COPROMO as mil famílias foram assentadas em uma área urbana de 54 mil m2 (ou 5,4 hectares), no caso do Assentamento Ireno Alves dos Santos, 1,5 mil famílias seriam assentadas em uma área rural de 27 mil hectares – número cinco mil vezes maior. Em outras palavras: ao invés de projetar uma “implantação”, os arquitetos da USINA foram desafiados a projetar um assentamento rural e quiçá inclusive uma cidade inteiramente nova.

     

    ACESSE O TEXTO COMPLETO AQUI