[BARTALINI; CABRAL; HENNRICH (org.), 2020] Atmosfera, Stimmung, Aura

 

[BARTALINI; CABRAL; HENNRICH (org.), 2020] Atmosfera, Stimmung, Aura

  • Resumo

    BARTALINI, Vladimir; CABRAL, Arthur; HENNRICH, Dirk (org.).

     

    Atas do Colóquio Internacional Atmosfera, Stimmung, Aura: nos interstícios da filosofia, paisagem e política.

    Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa; Fundação para a Ciência e a Tecnologia; Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo; Laboratório Paisagem, Arte e Cultura, 2020.

     

    "Uma das considerações filosóficas mais recorrentes na interpretação e na compreensão, não só de certas culturas ou sociedades, mas de épocas inteiras, é que cada tempo possui os seus conceitos principais e condutores. Neste sentido, não é um mero acaso que os conceitos de Stimmung, Aura e Atmosfera, tenham surgido a partir da segunda metade do século 19 e adentrado os séculos seguintes, em autores como Alois Riegl, Georg Simmel, Walter Benjamin, Martin Heidegger, Hermann Schmitz e Gernot Böhme, como conceitos chaves para expor suas leituras estéticas, fenomenológicas e ontológicas da modernidade e da disposição do humano como um ente sensível e corpóreo localizado no limiar entre a assim chamada Natureza e o que tradicionalmente se considera seu oposto, a Cultura. O conceito de Atmosfera e, bem antes, os conceitos de Stimmung e Aura surgem no discurso teórico e filosófico a partir da destruição progressiva dos espaços e ambientes naturais e do deslocamento da experiência do sublime da esfera do natural e dos seus fenômenos e aparências mais diversas, para a esfera do cultural, dos fenômenos e aparências artificiais, sejam eles construções arquitetônicas, invenções técnicas ou simplesmente ações e ocorrências completamente humanas, como as guerras e as suas forças explosivas. [...]"

    Dirk Michael Hennrich

     

    ACESSE O TEXTO COMPLETO AQUI