IV EROTISMO E FILOSOFIA DA UFU E DA UFG
Ensaios de Filósofas Brasileiras


COMISSÃO ORGANIZADORA
Ana Gabriela Colantoni UFU/Regional Goiás
Carla Milani Damião UFG/Goiânia
Georgia Cristina Amitrano UFU


I - APRESENTAÇÃO

O curso de filosofia da Regional Goiás-UFG, situado na Cidade de Goiás completa 11 anos em 2020. Em 2014, para comemorar os 5 anos de curso, foi realizado o primeiro Evento denominado “Erotismo e Filosofia” e foi mantida sua edição a cada dois anos. É um evento que proporciona encontro de intelectuais que respeita diferenças ao compreender que os feminismos são usinas de produção de ideias.

A coordenação nesse ano de 2020 é composta por Ana Gabriela Colantoni (professora de filosofia da UFG na Regional Goiás), Carla Damião (professora de filosofia da UFG em Goiânia) e Georgia Cristina Amitrano (professora de filosofia da UFU em Uberlândia). O evento está vinculado ao programa GSEX, coordenado por Maria Meire de Carvalho (professora do serviço social da UFG na Regional Goiás). O GSEX enquanto coletivo feminista da Regional Goiás, tem caráter interdisciplinar e interinstitucional, existe há 10 e propiciou participação de suas integrantes em todas as edições do evento “Erotismo e Filosofia”.

Nas três edições passadas, pessoas de diversos lugares do Brasil foram à cidade de Goiás para realizar e participar de palestras, comunicações, minicursos e exposições artísticas.  O “IV Erotismo e Filosofia” não será diferente e contará com a presença de filósofas de diversos Estados brasileiros, que se unirão especialmente para pensar questões decoloniais, sobre o corpo e sobre a linguagem. Além disso, teremos uma mesa de discussão com componentes de dois projetos feministas: o GSEX (UFG) e o LEA(UFU), com o propósito de aumentar a interação entre estudantes das duas instituições.

É de conhecimento geral que estamos passando por um isolamento social, devido à pandemia do covid19, o que impossibilita a realização do evento presencial. Mas, se “a cidade é a vida transcorrendo como ela se dá” e se “a cabeça pensa onde o pé pisa”, então, nada mais justo do que a quarta edição do “Erotismo e Filosofia” aconteça novamente na Cidade de Goiás, ainda que virtualmente. 

A participação das mulheres na vida pública ainda é um dos objetivos da luta contra o sexismo e a baixa representatividade na vida política pode ser constatada no legislativo de todo o país. Assim, como resistência simbólica, o evento pretende ter como palco virtual o Mercado Municipal da Cidade de Goiás, que em um passado não muito distante não podia ser frequentado pelas mulheres ditas “direitas”.  É claro que as consequências disso podem ainda ser constatados nas subjetividades formadas. A exclusão cultural e social propicia a exclusão territorial e vice-versa. Do mesmo modo, a desconstrução do padrão socialmente constituído abre caminhos que podem ser escolhidos pelas mulheres, sem que elas sofram violência. 

A cidade é o palco no qual mulheres, negros, e a comunidade LGBTQI+ sofrem cotidianamente agressões diversas. Em várias medidas a formação do espaço das cidades colabora com esses acontecimentos. As cidades em geral se desenvolveram de forma desordenada e sem planejamento, sem as políticas de proteção ao meio ambiente e ao bem estar social, de tal modo que podemos perceber a marginalização e a segregação das pessoas no presente.
  
Para executar essa resistência simbólica, tendo como palco a cidade e Mercado Municipal do município de Goiás, a ideia é montar um ambiente virtual onde seja possível experimentar a cidade e seus espaços, ainda que de maneira virtual, é claro. Essa experiência permeia também os debates do evento. 
 
O projeto da cidade virtual coordenado pelo professor da arquitetura Edinardo Lucas com o nome de habitaracidade.com é “um espaço para promover trabalhos científicos, culturais, artísticos e debates, permitindo formatos multimidiáticos, desde que abordem problemáticas relacionadas às cidades”. Pretende “também amplificar vozes que nem sempre são ouvidas, revelar habitantes que nem sempre são admitidos e trazer à tona existências que passam despercebidas no cotidiano das cidades brasileiras”.


Nesse sentido, amplo e democrático de se fazer ouvir vozes silenciadas da cidade e na cidade, que entendemos que o portal seria o palco ideal para a realização do Erotismo e Filosofia 2020. Temos em comum ainda a intenção de contribuir para aumentar a democratização do conhecimento. 

Esperamos poder colaborar para que a diversidade de projetos presentes no portal aumente e busque se assemelhar com a diversidade presente nos espaços urbanos, fazendo desta característica a tônica de uma cidade plural, livre e com oportunidades iguais para todos independente de gênero, religião, cor ou idade.

II – OBJETIVOS

- reunir filósofas brasileiras para apresentação e discussão de suas pesquisas

- produzir um livro (bilíngue) que tenha alcance internacional

- fortalecer as pesquisas nos temas propostos pelo evento

- ampliar atividades de pesquisa nos âmbitos da Graduação e da Pós-graduação do Instituto de Filosofia da Universidade Federal de Uberlândia e Universidade Federal de Goiás

- incrementar o intercâmbio e consolidar a cooperação de grupos de pesquisa no âmbito da filosofia

- fortalecer as atividades desses Grupos e das linhas de pesquisa da Pós em que atuam os pesquisadores da casa

- criar estratégias para a implantação do mestrado na Regional Goiás

- integrar a comunidade acadêmica local com a nacional e a internacional

- divulgar a pesquisa filosófica nacional no âmbito internacional

- promover a interlocução com pesquisadores de reconhecida competência.

 

III - JUSTIFICATIVA

“Erotismo e Filosofia” é uma grande oportunidade de integração de pesquisadoras de regiões diferentes, uma vez que o tema tem um caráter original. 


Podemos observar o potencial do evento, que ocorre de dois em dois anos e essa será a quarta edição, o que evidencia a inserção desses pesquisadores no espaço Nacional. Contamos a cada vez com um público mais numeroso que participa das atividades.

Neste ano, além do nome do subtítulos do evento “Ensaios de Filósofas Brasileiras” constituir-se sinteticamente como representação de proposta de reivindicação de mais espaço para as mulheres na profissão, o subtítulo também representa a luta pela denominação de filósofa às doutoras brasileiras em filosofia, que foram sempre ensinadas pelo outro (homem europeu) a se autodenominar de estudantes, de pesquisadoras ou de professoras de filosofia, mas nunca de filósofas.
 
Pretende-se, assim, abordar o tema “Erotismo e Filosofia” como um problema filosófico. É também uma proposta de ultrapassar os olhares sobre a mulher na filosofia  cristalizados pelos filósofos ao longo dos séculos, mostrando que a filosofia é conhecimento vivo, que constitui-se entre as mulheres no Brasil, com sua multiplicidade e autonomia de pensamento.

Por fim, outra valiosa contribuição do evento é o material bibliográfico que dele resultará: a organização de um livro bilingue com pretensão de alcance internacional.

IV - PÚBLICO ALVO

- Estudantes de graduação e de pós-graduação em Filosofia;

- Professores de Filosofia da Educação Básica e do Magistério Superior;

- Pesquisadores da área;

- Discentes, docentes e pesquisadores das áreas de Psicologia, Ciência Política, Sociologia, Antropologia, História, Linguística, Direito, Arquitetura, Serviço Social, Administração Literatura e Educação;

- O público interessado em atividades filosóficas.